... É só clicar no titulo do Blog, ( Em casa de poeta, o importante é sonhar!) que ele disponibiliza todo o conteúdo. Eu, acho que vale a pena. Acho também que a troca seria perfeita se deixassem um comentário, eu adoraria! Mara Araujo





terça-feira, 27 de abril de 2010


Penso que me basto...

Essa inquietude de espera que me atravessa. Uma vontade injusta de ir além, ir sempre nem sei pra onde, qualquer lugar que não me deixe sentir, não me deixe querer.Vontade de corpo quente, que arremessa, que derruba que arde em silêncio como se não sentisse. E esse desejo avançando mais, indo sempre na frente, mas não procura ninguém... Penso que me basto. Carrego todos os anseios e feitiços perto demais, agitados demais e ando dobrando vontades, esquinas e ruas e esse cansaço onde me tranco carregado de fuga, de expectativa. Adquiro estranhas formas fugindo de um vento incendiário, sublimo sempre e fico quieta, deixo assim. Transpiro paixão.... Penso que me basto! Tento não pensar, não ceder, não me envolver, viajar tudo o que flutua, todos os sorrisos, não cruzar passos nem pernas, não me enroscar, não acreditar em promessas, nem dar as mãos, para uma pessoa só

3 comentários:

Theresa Brahm disse...

Mara,

uma coisa aprendi a respeito de viver no exílio - eu, que vivi assim a vida inteira (mesmo em minha própria casa)...... podemos amar e nos envolver quanto quisermos, mas às vezes, o exílio é a melhor coisa que pode acontecer a uma pessoa.

Teus textos são mágicos.......

Com carinho, Thê.

Mara! disse...

Mágico meu amor, é o ser humano que sente, que vibra o tempo todo. Apenas tenho facilidade para descrever sentimentos que existem dentro de cada um de nós, e que é tanto! Só isso. Obrigada querida, você me emociona.

Hölle Carogne disse...

Pórco diooo, sinto como se tivesse me despido neste... Combina muito comigo, amoooo!