... É só clicar no titulo do Blog, ( Em casa de poeta, o importante é sonhar!) que ele disponibiliza todo o conteúdo. Eu, acho que vale a pena. Acho também que a troca seria perfeita se deixassem um comentário, eu adoraria! Mara Araujo





sábado, 11 de agosto de 2007

Que saudades da minha mãe...



Minha mãe, esta data sempre foi muito importante para mim, acho que para todos os seus filhos, afinal de contas era o seu aniversário. Acho aniversário de mãe uma coisa séria, acho gostoso, mas acabou!! Passou a ser só uma data na agenda onde voam os pensamentos meus. Sem mais pará bens para você, sem mais aniversário pra comemorar, pelo menos pra ligar e falar"mãe, parabéns..." Minha mãe parou de fazer aniversários e não consigo ficar sem saudades, sem este vazio de falta de ar que se chama falta de mãe, que deixa solto no ar ao acaso bolas de gaz incolor de solidão. Falta desse cordão umbilical que liga que une que alimenta e protege que é a sua referência de vida de amor, de verdades que por vezes são absolutas! Minha mãe, mais uma vez esta chegando o que era o seu dia, e mais uma certeza do vazio, certeza que você não vai estar em casa, não vou ter mãe chorosa e triste para beijar. Saudades do seu sorriso bobo, da sua pele, dos seus pés que me lembro bem, suas mãos rudes de mulher de vida dura. Me perdoa pelas dores, pela ignorancia de não ter te entendido tão bem, de coisas ruins que te falei, e obrigado por ter sido a minha mãe. Amo tuas lembranças e sinto dores, dores por não ter te feito festas e muitas vezes nem feliz. Penso em suas dores por cobranças de filhos, de filha mais velha que não cuidou, não cedeu não deu. Sinto vagar num vazio onde se tacteia e não se firma, de saudades de mãe triste, mãe boba e envergonhada , que só quer chorar dores do mundo da vida, da solidão de ser sozinha, jogada e largada, e ser mãe também ! Queria enxugar suas lágrimas e te dizer que tens a mim sempre, que sou tua filha e que te amo, alem das coisas da vida, que vou passar pomada em suas feridas, creme em teu rosto ,pintar seus cabelos e te enfeitar de baton,depois passear com você devagarinho como na Cinelandia de braços dados, sentarmos no Amarelinho, e você adorando, os olhinhos brilhando se sentindo bonita, orgulhosa e adorando ser mãe!. Minha mãe, saudades da sua ingenuidade, sua falta de sabedoria, o seu não saber nada! Descobri muito tarde a sua fragilidade a sua necessidade de amor e pertinho, bem pertinho de seu aniversário me vem a lembrança dos bolos e chocolates quentes à tarde que você sonhava ter em fazer para agradar seus filhos, netos e pessoas que passavam pela sua vida e ainda viriam a passar. Lembranças do queijo de Minas que sua mãe adorava e você vermelha de felicidade conseguia as vezes muito raramente comprar, esquecida das suas nessecidades mais básicas, era um presente de amor. Mãe, como tudo foi difícil nos seus dias de mãe! Que dias , que saudades de mãe que foi embora, que pena que só hoje te entendo melhor, entendo os medos, a dor de cabeça, e o amor pelo pai teu. Entendo a dor da perda, da morte de filhos que eram teus. lembro-me da infância, do dia das mães misturado com doce de abóbora e cocada preta do bar do Jair. A poesia mãe que eu lia tendo que subir na cadeira para você me ver, era da escola, mas os filhos eram teus, importante e excitante era o teu dia das mães no morro de Santa Luzia bem pra lá, muito longe de lá... Minha mãe que saudades dos seus dias de guarda, de proteção que nem me lembro mais, quando você nem sabia ainda se proteger. Deixo cair esse amor derramado nas suas lembranças, encharcando a saudade deixando a sólida, dura tornando palpável a dor que sinto pela falta que você me faz. Minha mãe acho que ouço vozes, vozes da vida, do mundo, do alem mundo, então fale comigo que talvez eu te ouça, fala de nós, de mim de você, fala dessa tristeza de ter mãe ausente, que dorme vestida de lua, e mora no céu.

Um comentário:

brida disse...

Minha querida....me dexaste profundamente comovida com este seu sentir em relação a "Mãe" pq somos assim....pq demoramos pra compreender o obvio???? enfim...como é dificil trabalhar a perda....como nós nos sentimos sós....sua sensibilidade e´algo impressionante...alias estou devorando seu blog....beijosssssss Bri...