... É só clicar no titulo do Blog, ( Em casa de poeta, o importante é sonhar!) que ele disponibiliza todo o conteúdo. Eu, acho que vale a pena. Acho também que a troca seria perfeita se deixassem um comentário, eu adoraria! Mara Araujo





domingo, 1 de fevereiro de 2009


Fotografia


Por vezes me solto e saio destrancando portas e janelas de passados andados por estradas vermelhas barrentas e lisas. Fico sempre atenta porque existem caminhos que não me arrisco a entrar, são perigosos demais... Às vezes procuro meu rosto de menina, de criança que ficou perdido nas lembranças e nos olhos da minha mãe que se fecharam para sempre, num tempo que também ficou para traz. Não houve fotos nem espelhos que me guardassem os cabelos compridos, nem o frescor, nem os traços. Não sei como era meu rosto que se esfumaçou no tempo, e ao tentar me lembrar, sinto uma frustração impotente que sei, será eterna. Lembro-me das pernas compridas e sempre arranhadas de brincadeiras irresponsáveis e naturais. Gargalhadas selvagens em ruas de terra batida e poeira, meio bicho solto, meio bicho do mato. Tempos estéreis de ausências profundas e generalizadas. Desordem... Deslizando atitudes quase subversivas, dentro daquele nosso pequeno espaço de um mundo louco e torto, trancado a sete chaves, que deixei para traz sem sair do lugar. Imaginação fértil a me girar a cabeça ao aprender a ler como minha mãe me ensinou. Tranquei-me em todos os livros que me cabia encontrar. Guardei-me em todas as historias, em todos os horizontes imaginários, em uma dimensão de espaço infinito. Cercava-me em promessas de fuga de um mundo oprimido e ignorado, que já não me cabia menina. E menina cresci sem me guardar o rosto, num tempo pequeno demais. Hoje não sei dizer se ganhei ou perdi. Só sei que sobrevivi aos trancos e mais barrancos, com marcas cravadas na carne. Caminhos que ainda hoje não me arrisco a lembrar; E tento me redimir por me sentir culpada e alheia, aquela ruptura... A fuga do caos

Um comentário:

bridakaloo disse...

Olá minha poetisa preferida...Diva...amo vir a esse teu cantinho poetico,e ter ler...ler..és uma guerreira incansavel!!!!Que os Deuses protejam sua existencia e nos permitam continuarmos a acreditar na poesia, nas lendas...além...muito além dos aridos corações humanos....nos permita de vez em qd n lembramos q existe um amanhã e q um dia cresceremos...beijos poetisa desse Universo fantastico!!!!BRIH....